Ações da Méliuz (CASH3) caem 42,6% em junho e lideram baixas do mês

Ações que mais caíram em junho
Ações que mais caíram em junho. Foto: Pixabay

As ações brasileiras, representadas pelo Ibovespa, terminaram o mês de junho com uma queda de 11,50%, alcançando os 98.541 pontos. O Índice Bovespa atingiu a sua pontuação máxima no período aos 112.709 pontos e uma mínima de 97.758 pontos. A baixa aconteceu depois de um mês positivo em maio, quando a Bolsa registrou alta de 3,22%.

No mês de junho, o índice teve a sua pior performance para a cotação do Ibovespa desde março de 2020. A desvalorização ocorreu em meio ao desempenho ruim das bolsas internacionais, com o S&P 500, principal índice de ações dos EUA, tendo sua pior performance semestral desde 1970.

Os investidores de ações do Ibovespa também atentos às preocupações de uma possível recessão na economia, com a tentativa de bancos centrais de desacelerar a inflação, por meio do aumento das taxas de juros e a adoção de políticas monetárias relacionadas a resolução desse problema.

Entre as ações que mais caíram em junho, estão os papéis da Méliuz (CASH3), que apresentaram uma forte baixa de 42,63% no período. Em seguida vêm as da Via (VIIA3), que tiveram uma baixa de 38,85%. Já as companhias aéreas Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4), tiveram desvalorizações de, respectivamente, 38,44% e 37,49%.

Do mesmo modo, os investidores das ações da Magazine Luiza (MGLU3) sofreram em junho, já que a empresa teve uma queda de 37,49% no mês. Com um cenário internacional da economia menos otimista, alguns riscos começam vir à tona, como uma maior desaceleração do e-commerce e do volume bruto de mercadorias.

Veja quais foram as cinco maiores quedas do Ibovespa em junho:

  1. Méliuz (CASH3): -42,63%
  2. Via (VIIA3): -38,85%
  3. Azul (AZUL4): -38,44%
  4. Gol (GOLL4): -37,49%
  5. Magazine Luiza (MGLU3): -37,10%

Magazine Luiza (MGLU3) lidera quedas do primeiro semestre

O mercado de ações também passou pelo fechamento do primeiro semestre de 2022, que acabou sendo difícil para os investidores – principalmente para os acionistas da Magazine Luiza, que liderou as quedas. Até 29 de junho, do total de 91 ações do Ibovespa, somente 35 apresentavam um resultado positivo. Um dos fatores que trouxeram um cenário adverso no período foi a guerra entre Rússia e Ucrânia, que continua por quase 130 dias.

Além disso, os bancos centrais enfrentam novas medidas para conter a inflação, como o crescimento das taxas de juros, favorecendo um cenário desfavorável para ativos de renda variável.

Assim como a Magazine Luiza foi um dos destaques entre as baixas do mês de junho, também figurou como uma das principais quedas do semestre. A desvalorização de MGLU3 foi de 67,59% nos seis primeiros meses de 2022.

Logo em seguida, na segunda colocação, ficaram as ações preferenciais da Méliuz, com variação de -66,67%. Na terceira posição do ranking ficaram as ações da Via (VIIA3), com perdas de 63,43%.

Veja quais foram cinco ações que mais se desvalorizam no primeiro semestre:

  1. Magazine Luiza (MGLU3): -67,59%
  2. Méliuz (CASH3): -66,67%
  3. Via (VIIA3): -63,43%
  4. Locaweb (LWSA3): -57,29%
  5. Americanas (AMER3): -56,39%

Com o cenário macro negativo para as ações de empresas varejistas acabaram ficando entre as principais quedas do Ibovespa no semestre.

O post Ações da Méliuz (CASH3) caem 42,6% em junho e lideram baixas do mês apareceu primeiro em Suno Notícias.



Leia na integra…

Por: João Vitor Jacintho – Suno

Deixe um comentário

18 − 10 =